logo
Governo e política, crime e segurança, arte, escola, dinheiro e principalmente gente da cidade sem portas
post

O general adúltero, o Rei David e a Sindrome de Betsabá

 

 

A amante do general Começou com a biografia, terminou em tórrido affair.

 

O general David Petraus está revivendo nas manchetes o fracasso ético dos líderes de sucesso. Vitorioso no Iraque, comandante poderoso no Afganistão, elevado a chefe geral da CIA, não resistiu às tentações da carne e caiu na gandaia com sua biografa Paula Broadwell.

Por favor, olhe a foto e entenda a motivação do crime: quem resiste àqueles tríceps sensuais?

É a Sindrome de Betsabá, que lembra a fraqueza do Rei Davi. Depois de vencer todos os inimigos, o Rei de Israel caiu na orgia e se apaixonou pela irresistível Betsabá.

Para ter exclusividade naquele mulherão, mandou o marido dela, o soldado Uriah, para uma batalha perdida. Uriah foi morto. Está tudo no filme David e Betsabá, realizado por Henry King em 1951. Gregory Peck interpreta David, Susan Hayward é Betsabá, a mulher fatal. O DVD está no Blockbuster, disponível para o fim de semana.

O filme não é assistido nas academias militares dos Estados Unidos, mas os alunos recebem conselhos de um livro intitulado “Sindrome de Betsabá: o fracasso ético dos líderes bem sucedidos”, como conta o New York Times em http://www.nytimes.com/2012/11/13/us/petraeuss-resignation-highlights-concern-over-military-officers-ethics.html?hpw

O livro ensina que a galinhagem dos chefões é um problema internacional. Quanto mais poderoso o líder, menos comprometido ele se sente com os códigos morais da sociedade. No Brasil são lembrados com destaque os escândalos da Casa da Dinda, que botou abaixo o governo Collor. Mas estão longe de ser os únicos que merecem ser filmados.

A questão não é o político apaixonado pela secretária ou pela mulher do aspone. É o político que leva a namorada para hotéis de luxo em Paris, Roma ou Nova York e dá a ela presentes caros com o dinheiro do contribuinte.

Ou o político que arma um esquema de contas-fantasma para manter namoradas em apartamentos decorados com fino gosto, com adegas que fazem inveja ao Ritz de Paris. Ou levar namorados para férias em hot spots da Cote d’Azur.

Ultimamente, caíram em tentação uma série de chefes militares americanos.

O general William Ward, do Exército, conhecido como Kip, foi o primeiro militar designado para o novo Comando da Africa. Está sendo investigado pelo desvio de dezenas de milhares de dólares para viagens e hospedagem em hotéis 5 estrelas.

O brigadeiro general Jeffrey A. Sinclair, era sub-comandante da 82a Divisão Aerotransportada no Afeganistão. Está enfrentando um grande juri que vai decidir se ele deve ser julgado por adulterio, orgias e possível sodomia com cinco mulheres.

James H. Johnson III, antigo comandante da 173a Brigada Aérea, foi expulso do Força, multado e rebaixado de coronel para tenente-coronel depois de ser preso por bigamia e fraudes beneficiando sua própria família.

O Força Aérea Americana luta para se recuperar do escândalo no centro de treinamento da base aérea de Lackland, no Texas. Ali, seis instrutores foram acusados por crimes que incluem estupro e adultério com lindas recrutas.

Na Marinha, o contra-almirante Charles M. Gaouette caiu do comando da base de porta-aviões de Stenin. O motivo oficial é “avaliação imprópria”. Sem mais detalhes.

O adjetivo impróprio tem uma força em inglês que não veio para o português. O general John R. Allen está sob investigação após trocar 20 mil folhas de email de”conteúdo impróprio” com Jill Kelley, aquela senhora de Tampa que começou toda a confusão com uma denúncia contra Paula Broadwell, a amante do general Petraeus.

Posted on 14th novembro 2012 in Sem categoria  •  No comments yet
post

Epidemia de violência? É aqui mesmo

Sociologo Claudio Beato Beato: “O problema da polícia começa no art. 144 da Constituição de 1988.”

 

Para quem está assustado com o noticiário sobre a onda de homicídios em São Paulo, alguns números são importantes. Os homicídios cresceram brutalmente entre 1998 e 2008 em várias capitais brasileiras. Sabe quais? Salvador ( +308,3 %), Curitiba ( +139,2%) e Belém (+103,7%). Em São Paulo houve redução de -69,8%.

 

Nós é que vamos mal.

 

Ontem à noite, no Roda Viva, da TV Cultura, o sociólogo Claudio Beato, um especialista internacional em estudos da violência, lembrou que o Brasil precisa agir contra a onda criminosa em várias frentes. A principal é o Congresso, responsável pela aprovação do art 144 da Constituição Federal, que trata da segurança pública.

 

Enquanto o Congresso não agir, defende Beato, a segurança pública continuará engessada pelo dispositivo constitucional. Ele dá autonomia a cada uma das polícias civil e militar. E para que funcionem, elas necessitam de comando unificado.

 

Outra tarefa do Congresso é mergulhar de cabeça da reforma dos códigos penal e de processo. Para mandar depressa para a prisão quem merece estar lá e tirar de dentro das penitenciárias autores de crimes menores que podem cumprir pena prestando serviços comunitários.

 

Beato defende uma gestão mais competente para a área de segurança, até para economizar recursos. A polícia tem que concentrar esforços nas áreas perigosas (hot spots), nos horários em que os crimes são mais frequentes. Exemplo? A maior parte dos crimes ocorre nas noites de sexta e sábado – mas o horário de trabalho da maioria dos policiais é das 9h às 18h.

 

Advoga transparência absoluta para as questões de violência e segurança. “Se estivessemos diante de uma epidemia de cólera, o Secretário de Saúde correria para a TV fornecer dados, responder perguntas. Se a epidemia for de violência essa obrigação é do Secretário de Segurança,”

Posted on 13th novembro 2012 in Sem categoria  •  No comments yet
post

Pública, gratuita – e sem risco

 

Vestibular risco zero

 

Tem gente que não quer ser reprovada no vestibular da Federal, uma universidade pública e gratuita, que garante quatro, cinco ou seis anos de aula sem custo além das apostilas.

Este ano, candidatos tiro-certo inscreveram-se para fazer Música (1.7 por vaga), Matemática Industrial (tarde) ou Matemática, bacharelado (1.66 candidato por vaga).

Outro curso fácil de entrar será Tecnologia da Gestão Pública (1.43 por vaga), embora poucos saibam exatamente o que é isso.

Música – educação musical – está com 1.7 por vaga.

Finalmente, há os cursos absolutamente garantidos, porque têm mais vagas do que candidatos. São Tecnologia em Agricultura, em Palotina (0,54) e Aquicultura, em Pontal do Sul, com 0.89.

Se você não zerar tá dentro.

 

Posted on 6th novembro 2012 in Sem categoria  •  No comments yet
post

Uma simples informação

.

 

Estela Sandrini, do MON Estela Sandrini, do MON

 

A coordenadora do Museu Oscar Niemayer, Teca Sandrini, ofereceu, há pouco, numa entrevista à Radio CBN, uma série de observações importantes sobre artes plásticas, administração de museus e amadurecimento de Curitiba, que faz filas aos domingos para visitar o MON.

Mostrou também que a área não está contaminada por preconceitos que imobilizam políticos tradicionais. Em duas frases liquidou o mito de que não se fala bem de governo anterior, principalmente se for de inimigo político – e informou que o MON decolou nos últimos anos graças ao trabalho de Maristela Requião.

Posted on 6th novembro 2012 in Sem categoria  •  No comments yet
post

Não festeje o fim do cabresto. Os currais eleitorais podem ter migrado para dentro da urna eletrônica

O sucesso do sistema de votação eletrônica adotado por muitos países, entre eles o Brasil, pode se transformar num histórico fracasso tecnológico e político. As máquinas de votação estão tendo sua confiabilidade questionada. Hackers podem invadir o sistema e alterar as votações.

 É o que diz na revista Salon o jornalista Brad Friedman. Ele sustenta que as máquinas de votar usadas por um quarto dos eleitores americanos (e pela totalidade dos brasileiros) podem ser manipuladas ao custo de US$10.50 em peças. O hacker não precisa ter elevado conhecimento técnico. Continue reading »

Posted on 1st novembro 2012 in Sem categoria  •  No comments yet
post

Depois da tempestade, Nova York compartilha carro para enfrentar o engarrafamento geral

 

Arrumando o metrô Aqui embaixo compartilhando esforços; na rua, compartilhando carros.

 

Enquanto equipes trabalham sem parar para o metrô voltar a funcionar amanhã às 6h, o prefeito de Nova York, Michael R. Bloomberg anunciou uma medida para o trânsito andar. Os milhões de novaiorquinos que tiraram os carros da garage devem compartilhar o transporte.

Nenhum carro entra na cidade sem pelo menos três passageiros. É uma imposição temporária porque com o metro e os ônibus funcionando poucos usam carro particular em Nova York.

E se Curitiba tentasse implantar uma vez por semana um Dia de Compartilhar o Carro?

Posted on 31st outubro 2012 in Sem categoria  •  No comments yet
post

Que pais maravilhoso é o Brasil! Sempre desmoralizando as piores evidências

Nada é o que parece.

Aquele senador Demostenes Torres, lembram? Parecia que ia limpar o Congresso dos corruptos. No fim, descobriram que o corrupto era ele, empregado do bicheiro Carlinhos Cachoeira.

A Ação Penal 470, vulgo mensalão, ia colocar na cadeia os responsáveis pela compra de votos de parlamentares e, de quebra, liquidar com as chances eleitorais do PT. Tai a vitória do Haddad.

Quando surgiu aquele mendigo galã, viciado em crack, o povo desconfiou que ele era fabricação da mídia ou de algum empresário da moda.

Agora, depois de sete anos, reapareceu o jacaré do Parque Barigui. Um jornalista resolveu se garantir e deu à notícia o seguinte título: “Foto do suposto jacaré do Parque
Barigui circula nas redes sociais”.

Ele está certo. Num país povoado por supostos homens de bem alguém supostamente inteligente vai acreditar na suposta história desse jacaré de Curitiba?

o jacaré O suposto jacaré do Parque do Barigui
Posted on 31st outubro 2012 in Sem categoria  •  No comments yet