logo
Governo e política, crime e segurança, arte, escola, dinheiro e principalmente gente da cidade sem portas
post

Morreu o Grande Provocador

 

 Um escritor sem pejo

Eugene Luther Gore Vidal

 

 

 

Gore Vidal foi embora e os Estados Unidos ficaram um pouco mais burros.

A burrice dos irmãos do Norte foi um dos temas favoritos dele, como grande provocador da América puritana.

Aqui, alguns pensamentos sem fronteiras.

 

Nunca perco uma oportunidade de fazer sexo ou de aparecer na televisão.

 

Não basta ter sucesso. Outros têm que fracassar.

 

Um narcisista é um cara mais bonito que você.

 

Qualquer americano que esteja preparado para disputar a Presidência deve ser declarado inelegível.

 

Democracia supostamente dá aquela sensação de liberdade de escolha, como quando você decide entre o Comprimido A ou Comprimido B. Só que os dois são aspirina.

 

A inveja é o fato central da vida americana.

 

Toda vez que um amigo faz sucesso eu morro um pouquinho.

 

Os Estados Unidos foram fundados pelo povo mais brilhante do mundo – e desde então nunca mais vimos esses caras.

 

A cada quatro anos, a metade ingênua que ainda vota é encorajada a acreditar que se nós pudermos eleger um cara ou uma mulher realmente legal para Presidente tudo estará resolvido.

 

Andy Warhol é o único gênio que conheci com 60 de QI.

 

Uma boa ação nunca fica impune.

 

Toda criança dá sustos em seus pais, no mínimo porque esperamos que sejam iguais à gente.

 

Aparentemente, democracia é um lugar onde são realizadas inúmeras eleições com alto custo, propostas ocas e candidatos intercambiáveis.

 

50% do povo não vai votar e 50% não lê jornais. Espero que sejam os mesmos 50%.

 

A genialidade da classe dominante consegue evitar que a maioria do povo questione a iniquidade de um sistema onde a maioria paga impostos indecentes sem receber nada em troca.

 

Ter estilo é saber quem você é, o que deve dizer e não se incomodar com isso.

 

Quanto mais um Americano acumula dinheiro, menos interessante ele fica.

 

As quatro palavras mais belas de nossa língua: eu não te disse?

 

O Congresso não pode mais declarar guerra nem fazer o orçamento público. É o fim da Constituição como um instrumento de governo.

 

Deviamos parar de sair por ai nos gabando de ser a maior democracia do mundo, quando não somos sequer uma democracia. Somos um tipo de república miltarizada.

 

Na medida em que a era da televisão avança o estilo Reagan será a regra, não a exceção. Ser perfeito para a TV é tudo que um Presidente deve ser hoje em dia.

 

Tai o sexo. Sexo não constrói estradas, não escreve romances e não dá sentido a nada na vida a não ser a ele mesmo.

 

Pense na terra como um organism vivo atacado por bilhões de bactérias, cujo número dobra a cada quatro anos. Ou o hospedeiro morre, ou as bactérias morrem, ou ambos morrem.

 

Não existe essa história de homosexual ou heterosexual. Existem atos homo ou heterossexuais. A maioria das pessoas é uma mistura desses impulsos. E das práticas.

 

Não existiria problema humano insolúvel se as pessoas simplesmente seguissem o meu conselho.

Posted on 6th agosto 2012 in Sem categoria  •  No comments yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *